Categoria: Opinião

Produtor rural, de herói a vilão?

18 de fevereiro de 2015
Por João Rebequi (*) – Todo início de ano é sempre uma expectativa de como será a economia do país. Em 2015 as coisas já começaram diferentes. Enquanto que em 2014 o agro fez parte dos planos de governo de todos os candidatos a presidente e o tema foi muito importante nas campanhas políticas, agora

Como ficará o agronegócio neste novo governo Dilma?

13 de fevereiro de 2015
Por José Luiz Tejon Megido (*) – As perspectivas são sombrias. E, por isso mesmo, carentes de alertas. O agronegócio em 2014 teve um superávit na balança de pagamentos do Brasil de US$ 80.13 bilhões. Enquanto o déficit da balança brasileiro foi de US$ 3.93 bilhões – o pior desde o ano 2000. E o

Aprendemos algo com o tomate?

29 de janeiro de 2015
Ao longo do ano de 2013 e de 2014, os jornais traziam a notícia da alta de preços do tomate, rotulando a fruta (ou o legume, como preferem alguns) como o “grande vilão da inflação”. Muitas reportagens foram publicadas e o assunto tornou-se viral na internet,com slogans do tipo “meu tomate minha vida” para um

O que esperar de 2015?

20 de dezembro de 2014
O ano de 2014 pôde ser considerado um bom ano para o agronegócio, em virtude das safras recordes e preços altos de várias commodities. No geral, poucas perdas foram experimentadas, com prejuízos, na maior parte das vezes, mitigados pelos preços dos frutos, acesso ao crédito e taxa de juros baixas. O que esperar agora para

Os contratos de hedge e a pecuária

11 de dezembro de 2014
Matéria veiculada esta semana na Rural Centro (UOL) diz que em estudo realizado pela USP ficou comprovado que pecuaristas que usam proteção de preço (hedge) melhoram sua renda. A pesquisa identificou que os confinamentos de maior porte, gerenciados por gestores com maior nível de escolaridade, tendem a utilizar mais os contratos de hedge, garantindo melhores

RENEGOCIAÇÃO DE DÍVIDAS DO FCO, FNE e FNO – por Lutero Pereira

8 de dezembro de 2014
O direito de renegociação das operações de crédito rural, de acordo com o permitido pela Resolução nº 4.315/2014, dentre outras coisas, deve ser visto como um direito assegurado ao mutuário rural, uma vez preenchidos os requisitos ali estabelecidos, que o agente financeiro não pode negar ao devedor caso este pretenda enquadrar a operação naquele beneficio.

Os Princípios do Agronegócio Dentro do Novo Código Comercial

3 de dezembro de 2014
Temerário. Esta é a palavra que melhor define o novo Código Comercial no livro III que trata do agronegócio. Embora louvável a inovação legislativa ao agregar um capítulo dedicado ao agronegócio, se aprovado, o texto trará um pesado fardo à agricultura. Veja o comentário do PLS 487/2013, que cria o Novo Código Comercial e (explode?)