Mudança nas regras de financiamentos bancários

Resolução do CMN proíbe a incidência da comissão de permanência para financiamentos contratadas a partir de setembro/2017. Proibição, todavia, já é válida para o crédito rural.

legislaçãoO Conselho Monetário Nacional editou no dia 23.02.2017 a Resolução n. 4.558, que, entre outras disposições, revoga a norma que permitia a incidência da “Comissão de Permanência”, a chamada “taxa de mercado”, encargo bastante oneroso que as instituições cobravam de seus clientes no período de inadimplência.

A norma trás um grande benefício ao consumidor. Embora o Superior Tribunal de Justiça (STJ) já tenha entendimento pacífico de que a Comissão de Permanência jamais poderá ser superior à soma dos encargos remuneratórios, multa e juros do contrato, na prática, poucas instituições respeitavam esse limite.

Todavia, a partir da vigência dessa Resolução (setembro/2017), a cobrança passa a ser proibida para os novos contratos.

Já no caso do crédito rural, entretanto, a Comissão de Permanência nunca foi permitida. A lei que disciplina o crédito rural não permite a cobrança desse encargo, e o STJ tem vários precedentes neste sentido. Todavia, mesmo diante da proibição, é muito comum observar operações rurais com a incidência desse encargo, o que é ilegal e indevido.

Clique aqui para acessar a Resolução na íntegra.

Tobias Marini de Salles Luz
Advogado especialista em agronegócio em Maringá/PR.
[email protected]

Deixe uma resposta

Receba, em primeira mão, artigos, leis e novidades do Agro. Conteúdo sempre relevante, simplificado e direto ao ponto.