E a greve dos caminhoneiros continua, companheiro!

Apesar do Governo Federal anunciar suposta negociação, a greve dos caminhoneiros continua nesta sexta-feira (27) em pelo menos seis estados brasileiros, causando tumulto e revolta em muitos setores. O Governo Federal está perdido.

Primeiro o Governo anuncia um acordo pífio com alguns sindicatos para pôr fim à greve. Todavia, os caminhões continuaram nas rodovias, o que mostra que o Planalto sequer sabe com quem está conversando ou com o que está lidando. Depois, através de liminares, resolve agora multar em R$ 5 mil ou R$ 10 mil a hora os motoristas que estejam impedindo o tráfego.

Muitas cidades já sofrem com o desabastecimento em alguns setores da economia, o que tem feito a greve virar assunto em todas as rodas de conversa. Porém, um dos setores mais atingidos sem dúvida é o agronegócio, pois em plena época de safra, está complicado escoar a produção ou mesmo obter diesel para colheita em grande parte das regiões produtoras do MT.

O Governo Federal está perdido. Tão perdido que foi capaz de dar declarações, através da Presidente Dilma, neste sentido: “Passamos 2013 e 2104 sob um conjunto de críticas dizendo que governo e a Petrobras tinham que elevar preço [dos combustíveis]. Não elevamos, passamos todo o período de US$ 100 a US$ 120 o barril sem mexer significativamente nos preços. E agora também não mexemos, o que fizemos foi recompor a Cide [Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico] e não elevamos uma vírgula o preço nem abaixamos.”

Caro leitor, veja a declaração da Presidente Dilma: “não elevamos o preço do combustível, o que fizemos foi recompor a CIDE” (tributo incidente sobre o preço do litro do combustível). Nova interpretação gramatical do dicionário Dilmês: aumentar o valor de um tributo sobre determinado produto não significa aumentar o preço final do produto.

Dizer que o Governo Federal não aumentou o preço dos combustíveis é dar um tapa na cara não só dos caminhoneiros, mas de todos os brasileiros que sentiram na pele os vários aumentos de combustíveis já ocorridos desde a eleição. Dizer também que é impossível abaixar os preços dos combustíveis é mentira, pois o Governo Federal tem autonomia tanto para baixar o preço do produto quanto para baixar ou zerar impostos. O que falta é  vontade. Mas talvez isto mude depois do dia 15 de março.

Tobias Marini de Salles Luz

Deixe uma resposta

Receba, em primeira mão, artigos, leis e novidades do Agro. Conteúdo sempre relevante, simplificado e direto ao ponto.